Bateria de hidrogênio mantém iPhone 6 carregado por uma semana

Uma célula de hidrogênio é capaz de manter o iPhone 6 ligado por uma semana, sem necessidade de recarga. Criado pela companhia britânica Intelligent Energy, o protótipo complementa a bateria comum de lítio do smartphone e fez tanto sucesso que a empresa já estuda lançar produtos similares no mercado.

A adaptação criada pelos ingleses gera eletricidade a partir da reação química entre hidrogênio e oxigênio para carregar o celular. Esse processo, entretanto, libera água e por isso o protótipo desenvolvido ganhou algumas saídas de ar para liberar vapor.

iphone-6-12

Segundo os idealizadores do projeto, a quantidade de água liberada pela célula é muito pequena, e portanto, imperceptível para o usuário. A reação entre hidrogênio e oxigênio é repetida constantemente para reabastecer o celular de carga, por até uma semana.

Depois desse prazo o ciclo é interrompido, porque a célula esgota o suprimento de hidrogênio, que precisa ser reabastecido. No protótipo da Intelligent Energy, o processo de recarga do gás foi feito pelo conector de fones de ouvido.

Para o uso comercial, a empresa está desenvolvendo um tipo de cartucho, que pode ser acoplado ao celular da Apple e teria a mesma capacidade de suprir as necessidades de energia do aparelho por uma semana. Segundo jornal inglês The Telegraph, a Apple estaria interessada na tecnologia desenvolvida pela Intelligent Energy, que poderia ser acoplada em futuras versões do iPhone.

Fonte: TT

Rian Design cria artes para campanha McDia Feliz (Instituto Ronald McDonald)

A Rian Design apóia campanhas que ajudam causas importantes, como o McDia Feliz, em prol da cura do câncer infantil e juvenil, realizada pelo Instituto Ronald McDonald.

Neste ano, tivermos a oportunidade de ajudar ainda mais o Instituto Ronald McDonald, criando artes para mídias sociais online para a campanha McDia Feliz.

Neste sábado (29), peça um Big Mac e ajude você também!

#1-Arte-para-22Ago-(Falta-1-semana)---800x800 #2-Arte-para-24Ago-(Sociedade)---800x800 #4-Arte-para-25Ago-(Voluntários)---800x800 #5-Arte-para-25Ago-(Crianças-beneficiadas)---800x800

Fale no microfone e site transforma palavras e frases em GIFs

O site Giftawk tem uma proposta curiosa: transformar tudo o que você fala em GIFs, incluindo palavras ou frases inteiras. Com um banco de imagens recheado de imagens animadas, a página permite que o usuário utilize o microfone do computador para pesquisar o termo que deseja.

Criado pela Etoxin, o Giftawk utiliza, além do acervo do Giphy, a API do Webkit Speech. Ao entrar no site, o navegador solicita uma permissão para utilizar o microfone. Após autorizar, basta falar e aguardar os resultados.

21 agosto

O mais interessante na plataforma é que o Giftawk não reconhece apenas termos avulsos. Ao falar uma frase, por exemplo, o site mostra GIFs que represente todas as palavras. O resultado não é muito preciso, mas é bem engraçado.

 

Fonte: TT

Sete dicas para tirar melhores fotos com seu smartphone à noite

Registrar fotos à noite nem sempre é uma missão fácil, muitas vezes a baixa luminosidade acaba atrapalhando na qualidade dos registros. No entanto, algumas ações simples podem ajudar a melhorar o resultado, evitando imagens tremidas ou borradas. Confira sete dicas que te ajudarão a capturar boas fotos noturnas no celular.

A câmera traseira tem 8 megapixels e surpreende com fotos em boa qualiadde (Foto: Lucas Mendes/TechTudo)

 

1) Modo HDR

O recurso HDR ajuda a registrar fotos com qualidade e balanços de cores mais elevados. No entanto, a função aumenta a sensibilidade da câmera e pode gerar imagens borradas à noite. Caso goste da função, o ideal é utilizá-la em conjunto com um tripé ou deixar o celular apoiado em algum lugar para conseguir um resultado melhor.

Recurso de HDR precisa de melhor estabilidade no smart em ambientes noturnos (Foto: Reprodução/Barbara Mannara)

 

2) Não tremer

Parece uma dica simples de seguir, mas muitos usuários esquecem dela. A baixa luminosidade de ambientes noturnos dificulta o clique mais objetivo, com elementos nítidos. Por isso a melhor solução é usar um tripé para não movimentar o smart durante o registro e, assim, conseguir um resultado mais profissional. Algumas opções mais baratas no mercado podem ser encontradas a partir de R$ 20, em lojas virtuais.

Para um melhor resultado invista em um tripé para celular (Foto: Divulgação/Gorillapod)

3) Com flash ou sem?

Cada smartphone tem um sistema de flash com alcance de alguns metros. Caso precise registrar uma imagem de um elemento mais distante, o flash não fará nenhum efeito. Este recurso é mais interessante para fotos próximas ou em distância mediana, com amigos em um restaurante ou acampamento, por exemplo.

Flash não resolve na hora de registrar objetos distantes (Foto: Reprodução/Barbara Mannara)

4) Usar o zoom?

A maioria das câmeras integradas aos smartphones oferecem o recurso de zoom digital e não óptico. Em fotos noturnas, a primeira opção pode deixar o resultado borrado e pixelado, prejudicando a qualidade final. Algumas exceções, como o Galaxy Zoom, oferecem lente de zoom óptico, o que pode ajudar a aproximar os objetos capturados, sem estragar a foto. Então é essencial conhecer as especificações do seu smart antes de usar a função.

Zoom digital do smart pode prejudicar o resultado (Foto: Reprodução/Barbara Mannara)

5) Conheça os recursos do celular

Saber quais são os recursos oferecidos pela câmera do seu smartphone pode ajudar bastante na hora de clicar imagens à noite. Muitos modelos tops de linha permitem ajustes digitais de brilho, exposição de luz, balanço de brancos, modo noturno e outros itens. Abra o aplicativo de câmera e busque pela função “modo” ou pelo ícone de configurações e faça vários testes antes de tirar as fotos.

Entenda as funções disponível no seu smartphone (Foto: Reprodução/Barbara Mannara)

6) Dicas de aplicativos para edição

Por mais que a foto noturna não tenha o resultado esperado, bons apps de edição podem ajudar a dar um retoque e aplicar filtros antes de compartilhar nas redes sociais. Para Android, confira programas como Adobe Photoshop Express, Pixlr Express, Photo Studio e mais nesse kit preparado para os celulares com o sistema móvel do Google. Já para os usuários do iPhone há apps como o Aviary Photo Editor, AfterLight e muitos outros nessa lista de apps para a plataforma da Apple.

Pixlr (Foto: Divulgação)

7) Dicas de aplicativos de câmera

Um bom app de câmera pode fazer toda a diferença, especialmente em fotos noturnas. Para Android, o Night Câmera promete melhor nitidez para imagens em ambientes escuros. Já no iOS, o app de destaque é o Moonlight – Night-time camera para iPad e iPhone, que possui ajustes bem interessantes para ambientes com pouca luz, tanto em elementos distantes quanto próximos.

App Moonlight no iOS promete melhor resultado de iluminação noturna (Foto: Divulgação/Moonlight)
Fonte: TT

 

Rian Design cria mascotes para o Museu do Videogame Itinerante

museu videogame itinerante mascote

Atari, Nintendinho, Master System, Mega Drive, Nintendo 64, Sega Saturn, Dreamcast, Game Cube, Xbox, Playstation 1. É raro encontrar alguém com menos de 40 anos que já não tenha jogado ou pelo acompanhado alguém jogar alguns dos videogames clássicos que fizeram história no Brasil e no mundo. Jogos como River Raid, Enduro, Pac-Man, Super Mario Bros, The Legend of Zelda, Donkey Kong, Sonic, Alex Kid, Top Gear, Street Fighter, Mortal Kombat, Final Fantasy, Castlevania, entre muitos outros, ficaram marcados na infância e adolescência de milhões de pessoas. E mesmo com a nova geração de videogames, são muitos que ainda cultivam boas lembranças dos aparelhos de 2, 8, 16, 32, 64 ou 128 bits.

E para aqueles que curtem jogos eletrônicos de todas as épocas, a boa notícia é que o Ibram – Instituto Brasileiro de Museus(www.museus.gov.br) acaba de mapear o primeiro Museu do Videogame do país. Criado há cinco anos pelo jornalista e curador, Cleidson Lima, o Museu do Videogame Itinerante, que não tem sede fixa, passará este ano a visitar cidades de todos os estados do Brasil. Desde 2011, mais de 450 mil pessoas conheceram o acervo que é exposto apenas durante 15 dias do ano, na capital de Mato Grosso do Sul. Em fevereiro deste ano, mais de 160 mil pessoas visitaram a exposição no shopping Bosque dos Ipês, em Campo Grande, que contou com apoio da PlayStation Brasil, Intel, Ubisoft, Oi e Kingston.

Conheça o museu:
www.museudovideogame.org

WhatsApp para iPhone ganha economia de dados e backup de vídeos

O WhatsApp para iOS recebeu uma atualização nesta quarta-feira (05) e trouxe grandes novidades e melhorias no design. Com a nova versão do app, os usuários de iPhone podem escolher reduzir o uso de dados, função já presente no aplicativo para Android. Também é possível salvar vídeos em backups de conversas e compartilhar a localização direto do Apple Maps.

whatsapp-ligacao_1_2

A partir de agora, usuários de iOS podem reduzir o uso de dados durante as ligações no WhatsApp, economizando no plano de internet. Outra novidade é a opção de silenciar conversas individuais – ambos os recursos já estavam disponíveis para Android desde o último dia 22 de julho.

A plataforma ganhou também novas opções de compartilhamento que prometem simplificar a tarefa de enviar contatos e locais. Os usuários podem enviar sua localização para amigos do WhatsApp diretamente da tela do Apple Maps, sem precisar abrir a conversa. O mesmo pode ser feito na hora de enviar contatos, que podem ser compartilhados a partir da agenda do telefone.

Para marcar uma conversa como lida ou não lida, o usuário pode apenas deslizar para a direita. E as conversas antigas passam a carregar automaticamente ao deslizar para o topo da conversa.

whatsapp-att

Além dos novos recursos, o mensageiro também ganhou melhorias no design para recorte de vídeos e fotos e compatibilidade com o VoiceOver. A atualização está sendo liberada aos poucos, mas, quem quiser ver logo as novidades, pode baixar a nova versão do WhatsApp para iOS.

Fonte: TT

Acessório transforma smarts e tablets em câmeras 3D

Bevel é um acessório que garante transformar qualquer tablet ou smartphone, com iOS ou Android, em uma câmera 3D. Conectado na saída para fones de ouvido, o Bevel atua como um sensor que captura detalhes sobre a profundidade de um objeto. Para capturar a imagem, tudo que o usuário precisa fazer é fotografar normalmente.

fone foto 1

O dispositivo funciona usando um laser para identificar os detalhes de profundidade no objeto em foco. As informações são utilizadas, em conjunto com a foto convencional capturada pelo aparelho, para criar a versão da foto em 3D. O Bevel possui sua própria bateria interna, uma característica que facilita a vida de quem pretende usar bastante o dispositivo, já que ele não deve comprometer a autonomia do seu portátil de escolha.

No momento, a distância ideal para fotografar com o Bevel é de apenas 1 metro, mas há a promessa dos criadores do acessório de aumentar a distância com o tempo. Ainda segundo o fabricante, o laser não oferece risco a olhos humanos.

Quem estiver interessado no dispositivo precisa garantir que seu smart, ou tablet, tenha um hardware mais recente e esteja em compasso com as versões mais recentes do sistema operacional, seja ele iOS ou Android. A razão é que o Bevel acaba exigindo um pouco da performance do aparelho. Embora não seja imprescindível, o fabricante do acessório recomenda que o dispositivo em que o Bevel for acoplado tenha giroscópio e acelerômetro.

fone foto 2

Para manipular as imagens, o usuário precisa do aplicativo dedicado do acessório. No programa, é possível selecionar o ângulo ideal de uma fotografia, compartilhar imagens em redes sociais, salvar a foto como um GIF e até mesmo exportar o arquivo para uma impressora 3D. Esta funcionalidade, no entanto, ainda está sendo aprimorada.

Apresentado no Kickstarter, o Bevel está perto de atingir a meta de arrecadação. Os idealizadores do produto buscam um financiamento de US$ 200 mil e, no momento, a campanha superara os US$ 150 mil. Faltam ainda 22 dias para o projeto reunir a quantia prevista, o que sinaliza que há grandes chances do projeto sair do papel. Quem estiver interessado precisa desembolsar, no mínimo, US$ 39 (R$ 135, em conversão direta). Os fabricantes do Bevel prometem enviar o dispositivo para o Brasil.
Fonte: TT