Ator Kadu Moliterno recomenda Rian Design

O ator Kadu Moliterno, o qual faz parte da história das novelas televisivas do Brasil, tais como “Beleza Pura”, “Bang Bang”, “Celebridade”,  “Anjo Mau”, “Quatro por Quatro”, “Armação Limitada” entre outras, recomenda o trabalho da agência Rian Design, especializada em Desenvolvimento de Sites e Soluções Móveis (aplicativos e games).

Assista ao vídeo:

Rian Design apoia Instituto Ronald McDonald

A Rian Design apoia campanhas que ajudam causas importantes, como o McDia Feliz, em prol da cura do câncer infantil e juvenil, realizada pelo Instituto Ronald McDonald, assim como na criação de artes e outras campanhas do instituto.

Em 2015, tivermos a oportunidade de ajudar ainda mais o Instituto Ronald McDonald, criando artes para mídias sociais online para a campanha McDia Feliz.

mc dia feliz instituto ronald mc donald rian design

Você também pode fazer a sua parte:
http://institutoronald.org.br/como-ajudar-criancas/

Conheça o site de Isabel Mueller, astróloga e escritora. Desenvolvido pela Rian Design.

Já viu seu horóscopo hoje?

Isabel Mueller escreve sobre astrologia há 23 anos, trabalhando para sites como UOL, BOL, Horóscopo Virtual, Bemzen, Sonhos e Buongiorno. Ganhou diversos prêmios literários com seus textos e poesias, sendo autora de dois livros.

Acesse o site desenvolvido pela Rian Design:
www.isabelmueller.com.br

Conheça mais trabalhos da Rian Design:
www.riandesign.com.br

isabel mueller astrologia site

Rian Design desenvolve site para atriz Luma Costa, de “Pé na Cova” da Rede Globo

A Rian Design é responsável pelos sites de vários artistas como Jonatas Faro, Sérgio Mallandro, Kadu Moliterno, Carlos Machado, incluse da atriz Luma Costa, a qual participou de novelas como “O Beijo do Vampiro”, “Páginas da Vida”, “Sítio do Picapau Amarelo”, “Malhação” e atualmente, do seriado “Pé na Cova”, todos da Rede Globo.

Visite o site oficial:
www.lumacosta.com.br

luma costa.jpg

Aprenda a identificar um pendrive falso na hora de comprar

O pendrive é um dispositivo prático para carregar arquivos para qualquer lugar, principalmente pelo design compacto. No mercado nacional estão disponíveis modelos dos mais diferentes tamanhos e armazenamento.

No entanto, muitos usuários acabam comprando um pendrive sem verificar se é verdadeiro, seja pelo preço mais baixo ou por falta de atenção. Para ajudar a não ter dor de cabeça, veja algumas dicas para identificar se o pendrive é original, de forma prática.

img 1

Problemas de um pendrive falso

Antes de explicar como descobrir se o dispositivo é verdadeiro, vale lembrar que um pendrive falso tem uma série de desvantagens. O dispositivo, por ter sido fabricado com origem duvidosa, pode acabar corrompendo seus dados, chegando a queimar e parar de funcionar.

Passo 1. Observe a embalagem antes de comprar;

img2

Note na embalagem se há erros de impressão ou de registro, com cores distorcidas. Dificilmente um produto original vai apresentar uma impressão de embalagem borrada, por exemplo. Verifique também se o produto está lacrado, e não apenas com a parte plástica colada ou presa por fita. Isso porque a embalagem pode ser original, mas o pendrive alterado.

Outra dica importante é observar o tamanho de armazenamento do pendrive, já que os modelos vêm em 1, 2, 4, 8, 16, 32, 64, 128 ou 256 GB. Note que o armazenamento é multiplicado por dois. Desconfie se tiver um pendrive com espaço em número ímpar (ex. 85 GB) ou sem ser um desses múltiplos. Veja as dicas de como escolher um bom pendrive.

Passo 2. Registro no pendrive;

img3

No plugue USB do pendrive a fabricante grava um número de registro e, normalmente, também o tamanho de armazenamento do dispositivo. Esse é um ponto importante: muitos pendrives falsos não apresentam o detalhe, tendo o espaço metálico apenas liso.

Passo 3. Tamanho real do pendrive;

img4

Comprou o pendrive e quer saber se oferece mesmo o tamanho da embalagem? Uma forma prática de descobrir isso é plugando o dispositivo no computador. Acesse a janela “Computador” e clique com o botão direito do mouse no item do pendrive. Selecione “Propriedades”. O armazenamento real está descrito em “Capacidade”.

Se o dispositivo estiver com muita diferença no espaço total, o produto pode ser falso ou estar danificado.

Passo 4. Atenção durante a compra.

img5

Vale ficar atento principalmente nos casos de compra online, no qual não é possível verificar a embalagem ou itens do pendrive pessoalmente. Busque por sites e lojas reconhecidas e desconfie daqueles com preço muito abaixo do mercado. Pode ser um produto falso e você só vai descobrir quando for testar.

Fonte: TT

Facebook tem projeto para identificar gírias em novo dicionário; entenda

Uma nova patente concedida ao Facebook no final de fevereiro de 2016, prevê que a rede social está desenvolvendo um sistema capaz de identificar, com antecedência, o surgimento de novas gírias do público jovem em sua plataforma. E também de localizar em que áreas elas são usadas e por quem.
Uma nova patente concedida ao Facebook no final de fevereiro de 2016, prevê que a rede social está desenvolvendo um sistema capaz de identificar, com antecedência, o surgimento de novas gírias do público jovem em sua plataforma. E também de localizar em que áreas elas são usadas e por quem.
Descubra quem ignorou sua solicitação de amizade no Facebook
O objetivo seria catalogar estas informações e criar uma espécie de glossário social, que teria informações sobre o termo (o significado, frequência de uso e que tipos de pessoas o utilizam); praticamente a solução de todos os problemas de quem “não vive a Internet com muita intensidade”.

Dicionário do Facebook

O novo sistema vai procurar pelo uso repetido de determinados termos entre os usuários do Facebook que possuem atributos em comum, como local e idioma. Sendo assim, vai traças novos padrões.

foto 1

As gírias serão adicionadas ao glossário se não possuírem uma definição específica na linguagem mais formal. E quando um neologismo começa a perder popularidade, é removido da lista.

Ainda não se sabe exatamente o que a rede social pretende fazer com esta tecnologia. Uma aposta é que seria usada para incrementar sistemas de previsão de texto (autocompletar), identificando a localização de um usuário e sugerindo palavras que são comuns na Internet para aquela região, mas que não fazem necessariamente parte do idioma comum no dicionário local.

foto 2

O pedido de patente do Facebook foi feito em 2012, mas só foi concedido no final de fevereiro deste ano. O texto indica que o recurso poderia ser usado em sistemas diferentes dentro da rede social, inclusive para relacionar termos a marcas comerciais, o que indicaria que a plataforma pode criar ferramentas para que seus anunciantes explorem a nova função com gírias próprias.

Fonte: TT

Realidade Virtual aplicada em empreendimentos imobiliários

A Rian Design desenvolve soluções em Realidade Virtual para empreendimentos imobiliários. Solicite-nos um orçamento e mais informações: www.riandesign.com.br

Aquelas inúmeras visitas até encontrar o apartamento ideal podem estar com os dias contados. Imobiliárias e construtoras já começam a usar óculos de realidade virtual que permitem a imersão, em 3D, dentro do imóvel.

Uma reportagem publicada no jornal americano “New York Times” mostrou que as imobiliárias Halstead Property, Greenland Forest City e Douglas Elliman Real Estate, presentes em várias cidades dos Estados Unidos, vão introduzir em larga escala a ferramenta em seus escritórios ainda neste ano.

realidade virtual tres rios imoveis

Imagem: Corretora usa óculos de realidade virtual que mostra como serão ambientes de empreendimento da Gafisa, em SP

A ideia não é abolir as visitas presenciais, mas permitir que o cliente possa conhecer dezenas de opções sem precisar se deslocar até cada uma delas. Além disso, imóveis ainda em construção podem ser visualizados antes do lançamento, em perspectivas tridimensionais.

Os óculos de realidade virtual mais usados são os da marca Rift, empresa que foi adquirida pelo Facebook em 2014. Quando o cliente coloca o equipamento, vê uma planta do imóvel em 3D, e consegue, por meio de controle remoto ou sensores, “andar” dentro do imóvel.

Novos aparelhos, como o Gear VR, da Samsung, já são usados no mercado americano. Por aqui, há experiências com o óculos da Rift, mas ainda em baixa escala.

A agência de publicidade PlanB, por exemplo, criou em 2014 um voo simulado de balão em que era possível ver a área externa do empreendimento Reservas do Bosque, em Belo Horizonte.

No segundo semestre de 2015, a construtora Gafisa colocou à disposição dos clientes óculos Rift nos estandes de dois empreendimentos, ambos em São Paulo.

“São inúmeras vantagens: é mais fácil de viabilizar, tem melhor custo benefício, pode-se usar sempre e não é preciso demolir o estande depois”, diz Octávio Flores, diretor de negócios da Gafisa.

Guilherme Reis, gestor de projetos da Eagle Soluções Integradas, empresa mineira que desenvolve os ambientes virtuais para o óculos, estima uma economia de até 35% em comparação com montagem de um estande decorado.

No custo final, está incluído o aluguel do óculos, que ainda é importado –em março o Rift passa a ser vendido no Brasil por R$ 2.400– e o projeto com as plantas em 3D.

Apesar de ser mais barato, a adesão ainda é baixa no Brasil, segundo especialistas. “É normal o receio em investimentos diferentes em época de crise, mas a tendência é que esse tipo de tecnologia fique mais comum”, diz Lucas Vargas, executivo-chefe do portal VivaReal.

DRONES

Além dos óculos de realidade virtual, outras tecnologias já começam a chegar aos estandes e sites de imobiliárias e construtoras.

O uso de drones para captar imagens do canteiro de obras é uma delas. No vídeo, é possível simular o caminho que o cliente fará para chegar no local e até a vista da janela do futuro imóvel.

“Antes, esse tipo de imagem era feita com helicóptero. Reduzimos o custo em até cinco vezes”, diz Paulo Cesar Lopes, da DroneSP, no ramo desde 2013.

Outra tecnologia já em uso é o escaneamento de imagens tridimensionais a partir do Kinect –sensor de movimentos do videogame Xbox. O resultado é compartilhado na internet, e os internautas podem caminhar, com a ajuda do mouse, pelos ambientes do imóvel.

“Em uma hora você consegue ver cerca de dez apartamentos”, afirma Francisco Toledo, da iTeleport.

Apesar de as tecnologias avançarem cada vez mais, Marcelo Dzik, diretor da Even, lembra que é preciso manter contato com o cliente, mesmo que virtual.

“Não podemos esquecer onde o cliente está. Facebook e WhatsApp ajudam no contato.”

Extraído de folha.uol.com.br

A Rian Design desenvolve soluções em Realidade Virtual para empreendimentos imobiliários. Solicite-nos um orçamento e mais informações: www.riandesign.com.br